Keith Prowse Entertainment Travel Brasil
CÂMBIO ATUALIZADO
Dólar (US$)= R$ 3,44    Euro (€) = R$ 4,03    Libra (£) = R$ 4,51   
22
nov
AV. Brigadeiro Faria Lima, 558 - Cj 42
São Paulo - SP 05426-200, Brasil
Central de Atendimento Telefone +55(11)3167-2757
BLOG

Cabarés em Paris


A Belle Époque em Paris (do final do século XIX até o começo da Primeira Guerra Mundial em 1914) marcou o nascimento dos cabarés, que instauraram o espírito da boêmia e da liberdade na capital.
Os príncipes, artistas, a burguesia e os trabalhadores divertiam-se na noite em Paris, seduzidos pelo French Cancan.
Paris contém três cabarés extraordinários, que transportam os espectadores para um mundo de sonhos, plumas, paetês, bijuterias e glamour.
Um dos mais conhecidos do mundo é o Moulin Rouge, situado ao pé da Colina Montmartre, que apresenta há mais de um século Teatros-revistas suntuosos.
Sua trupe compõe-se de 100 artistas, incluindo 60 Doriss Girls.
Outra casa lendária é o Lido, na avenida mais bonita do mundo para baladas, a Champs Élysées.
Nele apresenta-se uma trupe de 70 artistas, com as famosas Bluebell Girls e os Lido Boy dancers.
Enfim, o Crazy Horse, na prestigiosa Avenue George V pertinho da Torre Eiffel, com suas bailarinas com figurinos e coreografias sofisticados em espetáculos sensuais e elegantes.
Três cabarés com jantar dançante e espetáculos eletrizantes e inesquecíveis. 



Descubra a região descolada da margem direita do Sena, em Paris

Clique aqui e veja excelentes motivos para conhecer a região.



Sugestão de roteiro para PARIS

Paris: o essencial

 

Saiba quais são as atrações imperdíveis para quem vai debutar na cidade-luz

 

Paris não é só o destino predileto dos apaixonados. A cidade-luz conta com atrações turísticas para praticamente todas as idades e gostos, apesar de não ser propriamente um lugar perfeito para férias com crianças de até 11 anos.

 

Em aproximadamente cinco dias é possível conhecer o que a capital francesa tem de melhor, do passeio de barco pelo rio Sena, a jantares a luz de velas, visitas a museus igrejas e jardins tirar o fôlego. Sem falar nas compras, já que a cidade é a capital mundial da moda de luxo. Vai para lá pela primeira vez?

 

O ESSENCIAL

 

Segure a ansiedade de ir direto para a Torre Eiffel aproveite o melhor da cidade, sua atmosfera. Pegue o metrô e desça na estação Tuileries. Caminhe sem pressa pelo jardim de mesmo nome e invista em um almoço despretensioso nos cafés da redondeza. O clássico prato de quiche e salada não deve decepcionar.

 

Se estiver no clima cultural, e com tempo de sobra, aproveite a tarde e perca-se nas inúmeras salas do Museu do Louvre. Em quatro horas não é possível visitar nem a metade do espaço, mas é tempo suficiente para ver de perto as principais obras, como a Monalisa e a Venus de Milo. Não deixe de apreciar a arquitetura do prédio, com as fontes e pirâmides de vidro do lado de fora.

 

Quem não gosta de museu (e não há nenhum problema nisso) pode seguir à beira do Senna até a famosa Torre Eiffel, passando pelo Hôtel des Invalides, construção datada de 1670, que serviu de abrigo aos inválidos de guerra de Luis 14. A visão da torre se aproximando é emocionante.

 

É possível subir na torre até o topo da Torre Eiffel, de onde a vista 360º da cidade ao pôr-do-sol vale cada centavo. Mas, prepare-se para enfrentar fila de espera, que na alta temporada (maio a setembro) pode chegar a duas horas. Ficar sentado tomando um champanhe e comendo macarons no Campo de Marte – em frente a torre – também pode ser uma boa opção para apreciar um dos pontos turísticos mais famosos do mundo.

 

Depois de tirar várias fotos, atravesse novamente o rio e aprecie as belezas do jardim do museu Trocadero. E já que o almoço foi corrido, aproveite para fechar o dia com um belo jantar no Le Comptoir des Saints-Peres, com menu completo e bons vinhos a preço razoável.

 

Outra possibilidade de roteiro é começar o dia pelo Arco do Triunfo, no qual é possível entrar e subir para ver a cidade do alto. Cuidado ao atravessar as ruas, o trânsito de Paris não é dos mais sinalizados do mundo, ainda mais em uma rotatória como essa. De lá, siga andando para a luxuosa avenida Champs-Élysées, onde estão as butiques de grandes maisons como a Louis Vuitton, Chanel, Dior e outras. Não deixe de passar pela refinada confeitaria Ladurée e degustar os deliciosos macarons, os mais tradicionais da cidade. Também é possível almoçar por ali.

 

A Champs-Élysées acaba na Avenue Montaigne, a mais sofisticada e exclusiva rua de luxo de Paris, e no Grand Palais, uma belíssima estrutura em vidro que abriga grandes exposições. Vale a pena conferir o que estiver em cartaz. Desça mais um pouco até a Place de La Concorde, onde está o Obelisco e, se já tiver visitado o Jardin des Tulieries, siga pela Rue Royale até a igreja de La Madeleine, desenhada para ser um templo em homenagem ao exército de Napoleão. Atrás da igreja está a principal loja da famosa Fouchon. Jogue-se nos macorons, nos pães e nos inúmeros vidrinhos de chás e condimentos, perfeitos para dar de presente.

 

Se ainda estiver no pique para algumas comprinhas, siga até a Galeries Lafayette, no Boulevard Haussmann.

 

NO DESCOLADO MARAIS

 

Quem gosta de arte contemporânea pode começar o passeio pelo Museu George Pompidou (metrô Rambuteau). Apreciar a arquitetura do lado de fora é tão importante quanto ver as obras do lado de dentro. Na saída, faça uma pausa em uma das creperies, enquanto aprecia os artistas de rua que sempre se reúnem por ali. Se preferir, caminhe até outra doceria tradicional de Paris, a Pain de Sucre. Não saia de lá sem provar os macarons (sempre eles!) e o croissant.

 

O bairro tem ótimas ruas para as compras, como Rue du Rivoli, Rue Vielle du Temple e Rue des Rosiers, além do centro de Les Halles, antigo mercado central de Paris, hoje transformado em um shopping. Aproveite para conhecer a comidinha de bistrô, tão famosa em Paris, com almoço no Les Philosophes. Para uma refeição rápida vale o fallafel na Rue des Rosiers (metrô Saint-Paul), sendo o mais famoso o L’As du Fallafel (34, Rue des Rosiers).

 

Depois do almoço, ande na Place des Vosges e siga para a Ilha de Saint-Louis, onde é possível parar para “abastecer” na sorveteria Berthillon, a mais tradicional e sensacional de Paris. Siga caminhando com sua casquinha até a Catedral de Notre-Dame, onde é possível fazer visita guiada às torres góticas. Mas saiba desde já que são 387 degraus. Quem não gosta do passeio em catedrais pode ir à Shakeaspeare and Company, tradicional livraria frequentada pelos amantes da leitura.


Para o jantar, as dicas de restaurantes na região são na Place du Marché-Sainte-Catherine(metrô Saint-Paul). No Marais a maioria dos cardápios tem versão em inglês, então, não tenha medo de errar.

 

PIQUENIQUE E BOEMIA EM SAINT-GERMAIN

 

A manhã pode começar com o Museu Rodin, seguido da Grande Epicerie, onde é possível se acabar nas guloseimas, entre sanduíches, sucos e ótimos vinhos. Aproveite as compras para fazer um piquenique no Jardim de Luxemburgo (Paris não é Paris sem ao menos um piquenique no parque).

 

Energia recarregada, parta para a Saint-Sulpice, lugar bom para compras e para conhecer os cafés mais tradicionais da cidade-luz, como o Café de Flore e Les Deux Magots, na Place Saint-Germain-des-Prés. O local era frenquentado por Sartre, Hemingway e Picasso, entre outros.

 

QUARTIER LATIN

 

A visita ao Instituto Mundo Árabe, com direito a vista deslumbrante do terraço e diversos cafés no interior é outro ponto fundamental durante sua visita a Paris. Não deixe de passar pela Rue Mouffetard, que até às 13h concentra uma das maiores feirinhas de rua de Paris, com flores, frutas, frutos do mar, pães e muitos queijos. Aos sábados fica ainda mais animada, com músicos e artistas de rua.

 

Experimente o crepe do Aup’tit Grec e, se aguentar, aproveite para provar o sorvete da Sorveteria Amorino, uma das mais disputadas da cidade.

 

Nessa região também fica a Mesquita de Paris, com visitas guiadas a 3 euros por pessoa, em média. Fãs de chá devem experimentar a bebida do salão de chá anexo. O dia pode terminar com um passeio no Jardin des Plantes, ou seguir para o Pantheon e para a Place de la Sorbonne.

 

MONTMATRE

 

O bairro é parada obrigatória para conhecer a igreja Sacré-Coeur, que tem a vista mais incrível de Paris (vá de tênis, pois a subida é puxada) e foi cenário do filme “Amélie Poulain”. Para quem não quer encarar a escadaria, há também um bondinho ali perto.

 

A Place du Tertre, ao lado da igreja, é o ponto mais alto de Paris, com diversos artistas desenhando e vendendo sua arte na rua. Quem gosta das igrejas pode ir à Place Madeleine e a Igreja La Madeleine (metrô Madeleine), com o altar repleto de esculturas.
Aproveite que está ali perto e, quando descer, caminhe até a Place des Abbesses onde há diversas lojas, mercearias e boulangeries. A baguete da padaria que fica no número 38 da Rue de Abbesses é uma das mais famosas de Paris, levando o prêmio Grand Prix de la Baguette 2010. Siga em frente peloBoulevard de Clichy até o Moulin Rouge, um dos mais famosos cabarés de Paris no século 19. O moinho e a fachada vermelha ainda estão lá, mas as bailarinas já não têm mais o mesmo brilho. 

 

Fonte: IG Turismo

Foto: sxc.hu



A tão querida Paris....


Parques e jardins

Acham-se jardins antigos no coração de Paris, como o Tuileries e o de Luxemburgo. O Jardin des Tuileries foi criado no século XVI, sobre a margem direita do Sena, próximo do Louvre. O Jardim de Luxemburgo, sobre a margem esquerda, era outrora uma dependência privada do castelo construído por Marie de Médicis, em cerca de 1625. O Jardim das Plantas, instituído por Guy de La Brosse, o médico de Luís XIII, para o cultivo de plantas medicinais, foi o primeiro parque público de Paris.


É todavia ao Segundo Império que os jardins parisienses devem o essencial da sua atual fisionomia. A criação de espaços verdes foi uma faceta importante da política de aeração da cidade, cuja população crescia e se amontoava rapidamente. Sob a direção do engenheiro Jean-Charles Alphand e do paisagista Jean-Pierre Barillet-Deschamps, deu-se à luz um novo tipo de jardim. O Bosque de Bolonha e o Bosque de Vincennes, então no exterior de Paris, foram remanejados: situados respectivamente no extremo oeste e no extremo leste de Paris intra-muros, eles constituem hoje, e de longe, os mais extensos espaços verdes da cidade. Certos jardins do centro foram reformados. Foram criadas praças de bairro. Nos bairros mais novos, planejaram-se importantes parques. O Parque Monceau, o Parque Montsouris e o Parque das Buttes-Chaumont]] foram concebidos pelo engenheiro de Napoleão III.


Desde a década de 1980, vários espaços verdes foram criados em terrenos desativados. O Parque da Villette, imaginado pelo arquiteto Bernard Tschumi no local dos antigos matadouros de Paris, é hoje o maior parque do intra-muros. Durante a década de 1990, o Parque de Bercy, o Parque de Belleville e outros foram fundados. A periferia da cidade ao longo da antiga linha férrea circular foi igualmente embelezada por jardins familiares ou educativos. Os jardins de Éole inaugurados em 2007 é o parque mais importante criado em Paris na década de 2000.

 

Restaurantes


Breizh Café ? La Crêpe Autrement

É a melhor creperie de Paris. As receitas tradicionais - queijo, presunto, creme de leite e champignons – estão ao lado de receitas inovadoras como crepe de Saint Jacques e alho poró.

L´Atelier de Jöel Robuchon

Seus pratos são leves e diferentes. Com restaurantes espalhados pelo mundo, em Nova York, Londres, Macau, Mônaco, Tokyo, etc. Em Paris são dois restaurantes. Você senta no balcão e não há mesas. Existe apenas 36 lugares.


Chez Catherine

Restaurante gastronômico, cozinha criativa e moderna perto da Champs Elysées. Uma comida muito saborosa preparada por uma das melhores chefs: Catherine.


Le Ziryab by Noura

Restaurante para ir após visitar o museu ou jantar em um momento especial, o restaurante de cozinha libanesa, que está localizado no 9º andar do Instituto do Mundo Arabe, oferece uma vista estonteante. Num dia bonito, vale a pena sentar no terraço, com vista para o rio Sena…


Le Jule Verne

A 125m de altura, o restaurante está localizado no 2° andar da Torre Eiffel. A aventura culinária de Jules Verne é outra descoberta da culinária francesa. Restaurante administrado pelo chef Alain Ducasse.


Les Ombres

O restaurante está localizado no 5º andar do Musée du Quai Branly. A decoração reproduz os efeitos de transparência do vidro, sombra e luz sobre a vista da Torre Eiffel, isso explica o nome Les Ombres, As sombras.


Les Cinq saveurs d?Anada

Para uma degustação de especialidades macrobióticas e vegetarianas em Paris, Les Cinq saveurs d’Anada pode ser uma boa dica. Uma deliciosa cozinha, inspirada no doce, salgado, azedo, amargo e picante, elaborada somente com produtos orgânicos e vegetarianos.

 

Shoppings


Les Quatre Temps

Poucos sabem, maso shopping Les Quatre Temps é o segundo maior centro comercial da Europa. Os primeiros estudos para o projeto do shopping foram executados ainda em 1970. A proposta inicial era construir um centro comercial de 200.000m2 ao redor do Grande Arco de La Défense.


Le Bon Marché

Le Bon Marché é a loja de departamento mais sofisticada de Paris. Construída em 1869 pelo arquiteto Alexandre Leplanche, o local foi o primeiro prédio da França à utilizar a estrutura metálica de Gustave Eiffel.


Galeries Lafayette

Galeries Lafayette é uma loja de departamento francesa. A loja tem 10 andares. Sendo que o complexo é formado por mais duas lojas: Lafayette Homme: 4 andares; Lafayette Maison: 5 andares.


Cyrus Company

Cyrus Company é conhecida com a loja mais elegante para bebês. A loja foi inaugurada na Itália em 1995 e como tudo o que é feito lá vem para Paris com: simplicidade, sofisticação e um preço justo que cabe no bolso de várias pessoas.

 

Baladas


Moulin Rouge

Famoso desde sempre, todos os turistas desejam conhecer o Moulin Rouge. O cabaret frequentado por Toulouse Lautrec e imortalizado com suas famosas dançarinas é famoso pelo grande moinho vermelho na fachada e pela decoração Belle-Epoque.


Le Queen

Internacionalmente famosa também, segue com os mesmos critérios na entrada. No Le Queen, a mania é tirar peças de roupa enquanto se dança freneticamente (para quem curte este embalo).


Le Bains Douches

Totalmente renovado, o Les Bains Douches é um dos clubs mais famosos de Paris e costuma atrair um público altamente chique, incluíndo modelos e turistas abastados. O som é eclético mas o house e o electro costumam dominar a cena.


Batofar

O Batofar parece um barco qualquer atracado no rio Sena. Este é um dos clubs que mais bombam em Paris. Apesar de não ser tão central quanto outras boates, o Batofar costuma lotar todos os finais de semana.


Club Wagg

Na tentativa de se distanciar das boates de Paris cheias de fashionistas, o Club Wagg foi a boate que trouxe para Paris o que agora é conhecido como o “estilo londrino”.


Principais pontos turísticos


Torre Eiffel

O marco mais famoso de Paris foi construído por Gustave Eiffel para a Exposição Mundial de 1889, centenário da Revolução Francesa. Com 318 metros 10.100 toneladas, este é o monumento mais lembrado no mundo.


Arco do Triunfo

Inspirado no Arco de Titus, esse monumento no coração de Paris foi planejado por Napoleão para celebrar suas vitórias militares. O Arco foi concluído em 1836 e é um dos grandes marcos de Paris, afinal ali está a famosa Champs Elysées.


Catedral de Notre-Dame de Paris

Esta catedral maravilhosa à beira do Sena é um dos marcos de Paris. Com arquitetura gótica, começou a ser construída em 1163, na Idade Média. É dedicada a Maria, Mãe de Jesus Cristo.


Ópera Garnier

Finalizada em 1875 a Ópera Garnier é um lugar bonito e espetacular. Um passeio obrigatório, para quem aprecia maravilhosos ballets, concertos de esplêndidas orquestras ou óperas inesquecíveis.


Place des Vosges

Prepare-se para conhecer a mais charmosa praça do mundo. Foi cenário de muitos episódios históricos. São 36 casas, sendo 9 de cada lado. Sua arquitetura está intacta há 400 anos e é lá tem a famosa casa de Victor Hugo.


Museu do Louvre

O Museu do Louvre, instalado no Palácio do Louvre, em Paris, é um dos maiores e mais famosos museus do mundo. Localiza-se no centro de Paris, entre o rio Sena e a Rue de Rivoli.


Basílica de Sacré Couer

A basilique du Sacré-Couer é um templo da Igreja Católica Romana em Paris, sendo, também, o símbolo do bairro de Mont Martre. A basílica está localizada no topo do monte, o ponto mais alto da cidade.


Jardim de Luxemburgo

O Jardim do Luxemburgo é o maior parque público da cidade de Paris com mais de 224 mil m², localizado no 6º arrondissement. O Jardim de Luxemburgo atualmente pertence ao Senado da França, que está sediado no famoso Palácio de Luxemburgo.

Fonte - R7



Aviso importante sobre a Torre Eiffel

Atualmente estão operando com um único elevador devido a um incidente técnico. Portanto, o acesso ao monumento ficou um pouco mais difícil:

- Poucos bilhetes estão disponíveis;
- O tempo de espera para a bilheteira do monumento é de mais 2 horas.
Para programar-se com segurança, entre em contato com a The One.
Para informações úteis, clique aqui.
 




Receba Nossos Informativos
PACOTES
Pacotes
Receba Nossos Informativos
OS MAIS PROCURADOS
Veneza - Romance
Veneza - Romance
New York Tours
New York Tours
Nice - Aula de perfume
Nice - Aula de perfume